Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

ª Oh dia do camandro! *

Começou logo de manhã. O despertador não tocou, logo levantei-me meia hora mais tarde o que interferiu brutalmente na minha rotina da segunda feira.

 

Tenho de sair por volta da uma da tarde para ir encher cabeças de putos de inglês - entenda-se dar aulas - na minha primeira escola e só me lembrei que não tinha feito as fichas de trabalho para deixar a fotocopiar para o dia seguinte, ao meio dia! Pensei para com os meus botões "já tenho as aulas todas engatadas por causa do despertador... que cena, pá!" Como é que eu iria conseguir fazer 5 fichas de trabalho numa hora para dois níveis diferentes?

 

Incorporei a super teacher, liguei o turbo dos neurónios e dei a velocidade máxima aos dedos. Creio ter visto fumo a sair do meu computador e teclas a saltar por todos os lados mas estranhamentos, estão cá todas! Anyway, eram dez para o meio dia e já estava tudo feito e "empremido"! Sobraram 10 minutos para almoçar, lavar a dentuça e apanhar o bus! Prova superada! Ufa!

 

Tenho o GRAVE defeito de me descuidar com as horas se não houver toques de saída nas escolas. Continuo ali a ensinar, ensinar, ensinar.... Ora hoje foi um dia desses: continuei a ensinar, ensinar, ensinar... até que percebi que tinha dado mais 15 minutos de aula e que nem os miúdos se queixaram, nem eu dei pelo tempo passar e nem as auxiliares me alertaram!!!

 

Bolas, chiça salsicha! Perdi o meu bus que me levava à minha segunda escola!!! Das duas uma, ou entro em pâico e tenho já um treco... ou dois, vá, ou respiro fundo e tento chegar até ao minuto e que toca para a entrada. Respirei fundo e sequei na paragem - enquanto roía mentalmente as minhas unhas - até que um bus aparecesse e me fizesse sair do "Cu de Judas City". Ainda me fartei de rir com um maluco que ali entrou. Agradeci-lhe mentalmente pelo momento de loucura ali demonstrado e que me descontraiu... 

 

Pelo sim, pelo não liguei para a escola para avisar que iria chegar em cima da hora. Mas lá já sabem que eu chego sempre a horas e, desta vez, não foi excepção. acabei por chegar a horas e ainda ir fazer um xixizinho antes de me enfiar na sala! Mais uma prova superada! Ufa... take II! :

Surpresas boas.

Há dias em que somos presenteados com pequenas surpresas agradáveis. a semana passada tive uma dessas surpresas que foi mais uma espécie de rencontro, e ontem tive mais duas supresas destas. 

 

Num dia da outra semana, mal entro na escola, a senhora que está ao portão, pergunta-me se sou a professora Miss Pepper. Ela não sabia o meu nome, nem eu sei o dela, pois as nossas conversas são praticamente casuais. Depois explicou-me que uma senhora, de cujo o filho fui professora, andava à minha procura e que nesse dia iria lá ter comigo. Fiquei tão contente!

 

O filho dela era e é um miúdo fora de série e a turma dele a que dei aulas, tmbem era excelente. Posso dizer com orgulho que consegui que vários desses alunos fossem alunos de 100% , ainda hoje, ou de 5. E isto para mim, é encher-me o coração, pois marquei-os positivamente para a vida e contribui para a sua excelência.

 

A senhora foi ter comigo à minha sala e tivémos a matar um bocadinho as saudades e a por as novidades em dia.

 

Ontem ao ir para a escola, voltei a encontrar a tal senhora. Um ano inteiro a fazermos o mesmo percurso e nunca nos tínhamos encontrado e agora, em menos de uma semana, ja nos encontrámos duas vezes.

 

Como sabem, a segunda-feira é o meu pior dia com a minha pior turma, em que eu tenho de usar rédea curta e vestir a capa de má.e isto custa-me imenso. Mas ontem foi diferente. Para iniciar um novo tema, levei de novo uma história. enquanto explorava o tema e a história, houve alunos que acalmaram de tal maneira que pareciam ter adormecido. O que mais gostei foi alguns alunos terem-me pedido para falar sempre em inglês, e eu assim fiz. Costumo falar 90% das minhas aulas em inglês mas aqui não posso porque os miúdos têm uma grande deficiência de aprendizagem, infelizmente. É geral.

 

A aula correu bastante bem e como podem calcular saí de lá muito feliz. Será que agora no fim vão entrar nos eixos, finalmente? :)

A professora que é uma sexy girl.

Ontem comecei a dar explicações a uma menina a precisar de socorro urgente. Conversámos para ver quais as dificuldades que mais sentia, que matéria estava a dar e o que iria sair para o próximo teste. Enquanto ia fazendouma das fichas de trabalho que lhe dei, a miúda ia falando comigo, tirando pequenas dúvidas e contando pequenas coisas acerca da professora da disciplina.

 

Parece que a referida professora chega à aula e começa a desbobinar matéria automaticamente, a turma entra em alegre conversa e barulheira e ela nem os manda calar. Exercícios para consolidar a matéria e tirar as possíveis dúvidas aos alunos, népias! Já os testes, esses, são retirados da net, de um qualquer site acessível a todos, nem são feitos por ela. E o mais engraçado é que ela ainda diz orgulhosamente aos alunos que os tira da net! Em suma, ela vai dar aulas sem a mínima preparação, com as coisas feita em cima do joelho, e os encarregados de educação e os alunos (que são daqueles de boas notas) não estão nada satisfeitos. Inclusivamente já tentaram pô-la a mezer e a senhora professoar, depois, foi fazer beicinho para os alunos.

 

Ao que parece a tal senhora tem uma carreira paralela à carreira docente: é modelo fotográfico, daquelas fotos sensuais. Como todos sabemos, os nossos jovens de hoje em dia, são peritos em questões de net e descobriram as fotos da tal senhora, que ela também não escondeu, expondo-as numa rede social.

 

Ninguém tem nada a ver com o que a senhora faz com a sua vida, é certo, e nem ninguém tem que a criticar. A vida é dela. o corpo é dela e ela fará o que entender sem ter que dar justificações a ninguém. Mas ao expor-se desta maneira, há consequências implícitas perante os olhos da nossa sociedade, e principalmente sendo professora.

 

O que acontece é que os alunos perderam-lhe o respeito, e como perceberam que ela nem sequer prepara as aulas, os alunos começaram a borrifar-se. Se a professora não dá importância áquilo que lhes está a ensinar porque é que eles têm de dar? Afinal ela tem uma vida muito ocupada e não tem tempo para preparar as coisas, diz-lhes ela.

 

Era Bom, Era...!

 

Entro na sala do 3º ano e deposito as minhas tralhas em cima da mesa do profe, como sempre. Despeço-me da minha colega I. e, nesse exacto reparo em dois anjinhos que pululam por ali, junto a mim.

 

- Que é que vocês querem? Precisam de alguma coisa? - digo eu entre sorrisos.

 

- Ó teacher, temos uma dúvida...queríamos perguntar uma coisa... - respondem-me eles por entre olhares cheios de cumplicidade, salpicados de vergonhas.

 

- Então digam lá...

 

Os anjinhos respiraram fundo, olharam um para o outro e perguntaram:

 

- Ó teacher, é verdade que quando comemoramos as centésima* lição as aulas terminam?

 

Entre risos, respondo-lhes:

 

- Infelizmente, não... festejamos a centésima lição porque é uma forma de comemorarmos tudo o que aprendemos até agora... Mas quem nos dera!!!

 

Santa ingenuidade!

 

 

*Na sexta-feira foi o dia da centésima lição. apesar dos meus colegas não a festejarem, eu faço-o. Lembro-me de quando era estudante adorar os festejos da centésima lição. E opto sempre por proprocionar este prazer aos meus alunos. Como este ano estavam poucos devido aos feriados, levei eu o "farnel".

Fiz um bolinho, levei pipocas e sumo. Os miúdos gostaram tanto, mas tanto que não sobrou nem uma migalha para contar como foi...

And It Goes On...

 

Este clima de coisas pouco animadoras teima em não me largar. Eu bem tento fugir dele mas ele não me larga!

 

Eu ainda estou de mini-férias até não sei quando, estou tipo em banho-maria, mas a maioria das minhas colegas já entrou hoje ao serviço. Eu tenho de ser sempre diferente, já sabem.

Quer dizer, não estou bem em férias, estou em casa, digamos antes assim. As minhas tardes vão ser passadas a finalizar as planificações dos livros novos.

 

Hoje foi o dia de saber novidades do convento. Fiquei a saber que voltou para lá uma professora que lá esteve e que os pais a detestaram porque não ensinava nada. Só estava interessada em fazer blogues, onde colocava traduções dos putos, não eram trabalhos giros dos putos. Os pais estão extremamente apreensivos.

 

Fiquei a saber que saíram duas educadoras – uma delas foi “intimada” a sair -, uma auxiliar de limpeza e duas professoras.

 

Uma delas eu já sabia. As “manas” não podiam com ela devido ao seu mau feitio, então, foi despedida dos dois colégios onde estava. A outra despediu-se. Foi coagida a isso. E hoje telefonou-me. Quis ser ela a dizer-me pessoalmente que já não ia estar este ano no convento. Fiquei com muita pena.

No convento ou se cai em graça ou se é engraçado. As manas não perdoam!

 

Continuo expectante em relação ao meu outro colégio. O director disse-me que hoje era a reunião com a administração onde se definiria tudo. Sinceramente, acho que a solução para o buraco financeiro que ele criou, era ele ser substituído por alguém que metesse rédeas naquilo e soubesse fazer dinheiro. Mas isto é apenas a minha singela opinião.   

 

 

 

 

Atribulações Diárias.

 

Escrevo este post entre uma dentada numa fatia de pão com manteiga e um gole de café com leite. Sei que tenho andado desaparecida dos vossos blogs e do meu. Acho que já imaginaram porquê: trabalho a dobrar. Aos meus inimigos, digo apenas que não fui eliminada. Ainda aqui estou!

 

***

A minha semana tem sido algo atribulada. Começando no fim-de-semana com a estucha da Reunião de Condomínio com as já tradicionais baboseiras da Dona M. J., que apenas servem para atrapalhar e atrasar a reunião, passando pelo baile do Presidente Obama lol e continuado até hoje com uma aula sem sala.

 

Sabem aquelas pessoas que falam, falam mas não dizem nada? Cujo discurso é tipo “pescadinha de rabo na boca”? Pois a Dona M.J. é assim. Primeiro que ela diga que o céu é azul, tem de contar a história da formação do universo para chegar, finalmente, ao que quer dizer. Depois acrescenta mais uns pozinhos de conversa que não interessam para nada…

Escapei-me de ser novamente Administradora. Até porque nem era a minha vez…

 

Ando super cansada pois trabalho a dobrar e ter que preparar aulas para 7 turmas diferentes, é dose. O meu único consolo é que tenho 4 turmas cuja matéria é a mesma. Menos mal…

Mas para agravar as coisas, a fulana que estava antes no meu novo colégio, não devia “viver para a vida” como costumo dizer e sim para o computador.

A verdade é que ela fazia planificações muito bonitinhas e passava as aulinhas todas no PC com montes de floreados. Isto é revelador que ela se dedicava de corpo e alma à burocracia mas que, se calhar, o que era mais importante ficou um pouco de lado. Note-se que eu também sou de fazer muitas fichinhas e coisinhas giras para os miúdos ao PC, mas não é a minha prioridade.

Ao que me constou houve muitas queixas dos pais acerca dos métodos de ensino e do pouco trabalho desenvolvido.

 

Encontrei uma ex-aluna a quem dei aulas há cerca de 4 anos. A miúda tinha vindo do Brasil com uma mão à frente e outra atrás, apenas com a mãe e mais uma penca de irmãos. Eram tão pobres, tão pobres que eu e a directora muitas vezes lhes demos de comer ao lanche.

Ela reconheceu-me mas não me falou, apenas guinchou que eu tinha sido a professora de Inglês dela. Mas nem foi isto que me deixou triste… foi o facto de ver que uma miúda de boa índole estava acompanhada com corja da pior espécie e comecei a ver o filme todo. Enfim!

 

Ontem foi dia de piripaki. É claro que o stress, a falta de dormir e o cansaço tinham que se reflectir no meu organismo. Passei todo o dia com uma dor de cabeça terrível, quando sai da escola e o frio me atacou, então é que a coisa piorou bastante. Entrou-se-me um frio pelo corpo adentro que eu comecei a contar os segundos na ânsia de chegar a casa.  Afoguei-me em chá e banhos de aquecedor e no fim de jantar adormeci até hoje de manhã. Hoje já estava melhorzinha.

 

Tão não é que eu queria dar a minha última aula e não tinha sala?! Quer dizer, ter sala tinha, não tinha era chaves para lá entrar. Algum dos gajos-profes levou as chaves para casa e eu… tive de me aguentar à bronca. Corri o colégio de cima abaixo à procura das chaves pois nem a secretaria nem a senhora da limpeza tinham as chaves. Mas o pior é que os miúdos nem tinham material para trabalhar… Apropriei-me de outra sala e trabalhámos uma ficha que eu tinha para casos de emergência. Lá me safei!

 

 

Good News

 

 

 

Já repararam que há alguns dias que tenho estado caladinha, sugadita, apagadinha e outras coisas terminadas em –inha, como por exemplo, congeladinha.

 

Estranho? Ou talvez não, uma vez que tenho feito grandes momentos de silêncio. Por necessidades intrínsecas. Mas não agora.


***

 

A crise económica espraiou-se por tudo e mais alguma coisa que nos possa passar pela cabeça. Começam a surgir os controlos de custos e a serem descobertos financeiros. E quem é que sofre os efeitos colaterais? Os pequenos, os subalternos, os que precisam de trabalhar para comer. Ah e os professores, que são seres à parte. Ou seja, me, myself and I!

 

O meu colégio começou a fazer cortes orçamentais devido à crise e nós é que temos estado a pagar as favas. Assim sendo, Há duas semanas comecei a mandar CVs.

Assim que os receberam, comecei logo a ser contactada para entrevistas. Uns não foi possível aceitar por incompatibilidade de horário, outros ficaram com o meu contacto para preenchimento de eventuais faltas e entretanto, pela flexibilidade de horários, aceitei assumir um trabalho num centro de explicações da moda.*

Mas isto iria concretizar-se caso o meu destino não estivesse já traçado de maneira diferente.

 

A minha colega de música tinha-me dito que estavam a precisar de uma teacher para o colégio religioso onde ela trabalha. Disse-me para eu ir lá num determinado dia pois estavam a fazer entrevistas. Acabei por não ir porque nem sequer chegaria a tempo, uma vez que só poderia ir findado o meu período de leccionação de aulas. Nunca mais falámos nisso.

 

Recomeçaram as aulas e a minha colega volta a tocar no assunto. Afinal não tinham seleccionado ninguém pois os currículos e as pessoas não tinham agradado. Deu-me o contacto do colégio para eu falar com eles e eu assim fiz. Marcaram-me entrevista, fui lá, gostaram muito da minha experiência profissional e julgo que também de mim. Acabei por ficar.

 

O destino estava traçado: Deus queria-me ao seu serviço e reservou aquela vaga para mim. E eu… comecei hoje!

 

 

 

 

* é tão da moda que é um franchising… e podia pagar muuuuuito melhor…. Se não ficasse com 40%  para eles…

 

 

 

 

Back To School... Hooray!

 

 

 

Hoje foi o grande dia, o do regresso às aulas. Estava um dia de sol espectacular e uma temperatura amena, convidativa a um belo dia de praia. O autocarro até vai quase até lá... mas eu desço antes. E o colégio podia ter uma praia particular... ou uma piscina... ou uma poça de água para chapinhar... mas não tem!

 

É engraçado pois, pela primeira vez na vida, não senti aquelas borboletas no estômago, típicas do primeiro dia de aulas. Não são só os alunos que se sentem apreensivos, os profes também. É o síndrome do primeiro dia de aulas. 

Em 12 anos de aulas é extraordinário ter desaparecido o tradicional nervoso miudinho. Eu já conhecia os alunos, é certo, mas nunca sabemos o que nos espera, como eles vêm das férias, as manhas novas que trazem.

 

Entrei, marquei o ponto e fui cumprimentar todo o pessoal do colégio. Andei a beijocar os meus pequerruchinhos mini-melgas e depois subi aos meus domínios...lol!

Sim, é que eu dou aulas no castelo altaneiro - entenda-se primeiro andar - que é onde uma princesa como eu deve estar! Cof! Cof! Cof!

 

Comecei com a minha turma do 4º ano cujos alunos são conhecidos como as "esponjas enérgicas". São excelentes, tanto em apreensão de matéria com em excesso de energia! Bah! Sairam dois alunos da turma: o anjinho loiro de olhos azuis e o melhor aluno, que só tinha 100 porcento. Foi pena.

 

Seguiu-se a estreia do meu novo 1º ano. Bem, que "jeitosos" que são... e ficaram com a professora do meu 4º ano do ano passado, lembram-se? Dos mal-educados, futuros delinquentes? Esperemos que esta prof se mostre mais aberta a "críticas" pois os alunos dela são sempre perfeitos. O mal é que ela não é a única professora dessa turma, portanto, há opiniões divergentes das dela. Mas o pior é que ela é tida como muito boa. Só ainda não percebi em quê... adiante!

 

Último tempo do dia. Dirijo-me à sala e vejo a porta fechada. Bolas! Tenho de ir buscar as chaves. Desço até à secretaria, pego nas chaves, monto o estaminé na sala e fico à espera de "clientes". Cinco e dez e nada. Os miúdos costumam ser pontuais. Desço novamente até às "masmorras" (rés-do-chão) e procuro pela turma que iria ter aulas. Encontro apenas um miúdo a quem pergunto pelos colegas. Resposta pronta na ponta da língua "Ah, eles estão na aula de informática!" Toimmmm! Hã? Aconteceu algo e eu não dei por nada?!

Volto à secretaria para tentar deslindar a coisa. Simplificando, alteraram o horário e ninguém me avisou. Era a única que não sabia... Chuif! Quero o livro de reclamações!!!

 

Este ano o meu horário vai um bocadinho até mais tarde. o que me trama o esquema de transportes. Ao contrário do ano passado, este ano tenho um intervalinho entre cada turma. Sempre é melhor pois o ano passado, stressante como foi, e sem pausas entre as turmas foi altamente desgastante.

 

A ver vamos como vão correr as coisas...

 

 

Amanhã é o Grande Dia!

 

Bom, o tempo passa num instante e o primeiro dia de aulas está à porta.

Não me sinto com alento nenhum para começar as aulas. Não é pelos miúdos nem por ir dar as aulas, não. É porque me sinto uma “flor de estufa”. Há quase 1 mês que não tenho uma vida… normal, se assim se pode chamar. O facto de ter de estar em repouso e de não poder laurear a pevide para lado nenhum, deixou-me completamente “fraquinha”. Mas lá terá que ser…

 

Hoje foi um Domingo de preparativos. Simples, mas de preparativos. Organizar o dossier com as turmas, planificar a primeira aula, alinhavar a segunda e a terceira e rabiscar os testes diagnósticos. Esta semana vão ser só aulas de apresentação e brincadeira para depois arrancar em força.

 

Hoje não houve penso para ninguém. O centro de saúde está fechado e não vale ir a lado nenhum pagar os olhos da cara por um serviço digamos… “incompleto”. Sim, porque a minha “cratera” que, tecnicamente, se chama loca tem de levar 2 compressas especiais cicatrizantes lá no sítio. E o mais giro é que estas compressas especiais não existem em quase sítio nenhum., a não ser nos centros de saúde ou hospitais. A loca tem mesmo de levar a compressa para não fechar em falso e para manter a higiene.

 

A minha amiga enxaqueca andou aqui a tocar à porta outra vez. Mas desta vez tramou-se. Não lhe abri a porta. Não lhe dei cunfias. Parece que, hoje, foi chatear outro… LOOOL!

 

Acabo de entrar em choque. Está a dar o famigerado concurso da SIC. Deve haver muita gente surda em Portugal que desconhece o seu problema. E talvez com excesso de auto-confiança pois é com cada figurinha… tinham que me pagar para fazer figuras destas… Mas muita bem paga! Mas a figura não é só na cantoria… E então a portinha enganadora? Ahahahah!!!

 

Deixem-se estar, instalem-se no sofá a ver o concurso que eu vou ali buscar uns tampõezinhos para os ouvidos… :PPP

 

P.S. – PROTESTO!!! Atão os primos alentejanitos foram desclassificados porque não tinham 10 anos de diferença?!?!? Tá mal… tá muito mal… Resmas… paletes… gingabaites de abéculas e aos alentejanitos cortaram-lhes as vazas… :/